Todos os textos que posto aqui são de minha autoria, exceto os que coloco o nome do autor em baixo, é claro. Então pra ser sincera eu realmente não gosto quando alguém copia.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

dear dad

a verdade é que eu sinto falta da tua voz cansada, do teu sorriso meio sem graça, do teu chinelo fazendo barulho pela casa, do teu jeito atrapalhado de dizer 'é, eu estou com voce', das nossas curtas conversas pela manhã, e pra falar a verdade, te digo sem mascaras e receios, que quanto mais te expulso da minha vida e digo para que não te envolvas é quando mais preciso que me pegues pelo braço e digas 'voce esta de castigo hoje' breve tradução de fique comigo até mais tarde, e como diz o ditado só quem ja teve um dragão em casa pra saber como essa casa fica vazia depois que ele parte.

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

amanhã quando?

Queria saber por onde esteve, por onde andou, tão longe de onde pudesse te ver, tão longe de
onde eu pudesse pegar na tua mão, chegar perto de ti, passar meus dedos em teu cabelo e dizer
o quão intensos eram meus sentimentos e olhares para ti.
eu quis tanto te ter aqui, quis tanto ser tua fonte de luz, fazer parte do teu sistema respiratório enfim, por tanto tempo
acordei no meio da noite pensando apenas estar enganada, pensando apenas que ao amanhecer estarias
ali, coloquei tanta força nesse pensamento que acabei acreditando, me senti como quando tinha 5 anos e esperava
minha mãe voltar de viagem, e todo dia perguntava quando chegaria, e a única resposta era amanhã,
e de tantos dias que passavam, me questionei, amanhã quando? Agora te digo com toda a certeza possível amanhã nunca,
não olhe para trás, não se sinta pressionado a te dirigires a mim novamente, deixa estar
a vida tem ficado bem mais doce ultimamente, no final das contas descobri que eu tenho que ser minha própria fonte
de luz, meu diafragma, pulmão, átrio esquerdo e direito, veias e sangue, eu sou meu tudo, e você? ah você nada.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

o quanto senti falta de mim

Vivi por tanto tempo afastada de tudo, afastada do mundo, e principalmente afastada de mim, mantive uma distância razoável de tudo que poderia ocasionar, perda, dor ou algum e qualquer sentimento enfim. Logo eu, rainha do drama, viciada em uma boa dose de amor, fã numero um de novela mexicana. Então é quando tu para, e começa a te perguntar de quem é aquela imagem destorcida refletindo no espelho, é exatamente nesse momento que a gente corre, grita, se desespera, liga para meio mundo, olha fotos e chora, e só depois de tudo isso tu percebe que basta um empurrãozinho para tudo voltar ao seu lugar, basta tu conseguir te sentir, basta tu conseguir acreditar de novo, basta ser você mesmo.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

avalanche

E dessa vez eu vou ser fria mesmo, ríspida, e minuciosa com todos os detalhes, dessa vez eu vou chutar a tua porta, gritar na tua frente tudo que eu tenho engasgado, entalado, preso. Dessa vez eu vou entrar na tua casa sentar no teu sofá como costumava fazer e despejar um caminhão de palavras, medos, incertezas e talvez até lagrimas. Por que de uma coisa eu sei, toda dor reprimida por muito tempo, quando volta vem como uma avalanche e te derruba de um jeito que é impossível continuar intacta. Cansei de controlar sentimentos, cansei de bancar a forte, quando na verdade estou queimando e me tornando mais fraca a cada dia que passa. Dessa vez eu vou dar uma má educada mesmo, e mandar todo mundo pro inferno, só pra variar.

sábado, 2 de outubro de 2010

cinzas

Agora me vejo estática, sentada na sacada, olhando para a mesma direção durante horas e horas, sem lagrimas, sem lamentações, não mais, não por ti. Apenas acendo um cigarro, e imagino toda a dor sendo queimada, virando cinzas como todo o resto de mim.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

respirar

Agora não vejo seu nome nas minhas ligações recentes, você não esta parado na porta do meu quarto, não você não vai vir me buscar, poxa vida você não esta mais aqui. E então deixe eu lhe contar um segredo meu amor, desde então tenho conseguido respirar.

sexta-feira, 2 de julho de 2010

não mais

Eu tenho um buraco, uma falta, um vazio e não sei como fazer isso parar, tenho feridas que nunca vão cicatrizar, e hoje nem sei mais como eu sou, ou melhor nem sei no que você me transformou.

sexta-feira, 30 de abril de 2010

minha estranha loucura

meu deus, ás vezes eu paro pra pensar por que é eu faço tanta confusão, por que é que eu prefiro seguir sempre o caminho mais confuso que provavelmente vai dar em uma rua sem fim. Por que é que eu não consigo seguir uma trilha, em que eu saiba aonde vai ser o fim. E o mais insano é que eu gosto disso. Essa vida sempre tão imprevisível, tão maravilhosa e dramática, um palco um circo um enterro. Se eu pudesse juro que ficava aqui para sempre. Vida tão engraçada, tão misteriosa vida looouca, e sabe eu gosto mesmo é quando ela se agita e vem como uma avalanche e me leva junto com ela, eu gosto quando acontece o imprevisível o impossível, o final que ninguém imaginava um final que ninguém entende.


terça-feira, 8 de dezembro de 2009

eterna confusão

pensar que eu preciso de ti como preciso do ar pensar que eu tenho todas as provas e indícios de que o coração não esta disposto a esquecer, e ao mesmo tempo saber que é mais saudável armazenar somente as lembranças e manter distancia. Eterna confusão saber que aquele que eu mais amo é o único do qual eu devo fugir.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

desculpas

Quero pedir desculpas por ter parado de postar e por nem sempre responder os comentários, é que minha vida anda meio complicada nos últimos dias, bom eu vou mudar de cidade de novo quinta feira agora, é eu tanto quis que acabei conseguindo é inacreditável que a hora de sair dessa prisão finalmente tenha chegado. Mas como sempre digo para todo mundo é incrível como para mim nada da certo por inteiro e é não podia ser diferente dessa vez! Bem eu volto a postar daqui alguns dias para contar o provável final trágico que vai ter essa história toda volto melhor para explicar tudo também!

Obrigada, beijos!

- Prometa não chorar e não se arrepender

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Infância

Sinto uma imensa falta da minha infância, de quando tudo parecia ser tão obvio, tão menos complicado. O tempo em que eu olhava para o céu e aquelas estrelas tão lindas pareciam estar ao meu alcance, quando eu não queria mais nada a não ser um sorriso verdadeiro e alguém que me fizesse sentir segura. Mas o tempo passa, e passou e é incrivelmente assustadora a maneira como tudo se tornou tão incompreensível para mim. O tempo passou e levou tudo aquilo que parecia ser tão real e tão bonito deixando apenas minhas inseguranças e medos. Confesso que prefiro a maneira de como antes meus olhos de alguma forma confundiam o real com a fantasia, e tornava tudo tão mágico. Eu acho que de certa forma eu ainda sou aquela menina que só precisa de um sorriso verdadeiro e alguém para sentir segura, parte de mim sempre vai ficar perdida no mundo das fantasias e eu não sei até que ponto isso é certo ou saudável, de certa forma meus olhos ainda confundem o real com o ilusório por mais que agora seja com minhas lagrimas que eles se nublem!

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

ultimos dias

Decepção, essa tem se tornado a palavra mais presente nos meus dias, talvez a ilusão ande de mãos dadas com ela, acho que elas simpatizam comigo e não querem me deixar, então tem se feito presentes a cada passo que dou. tenho tentado fazer tudo o que esta a meu alcance pra ajeitar, colocar as coisas de volta ao seu lugar e é a única coisa em que tenho pensado ultimamente, isso e mais nada. Tenho tentado pensado em como espantar essa maré de azar, mas não tenho chegado à conclusão nenhuma e de verdade eu já tive dias melhores, impossível tentar parar de pensar na quão sozinha eu tenho me tornado nesses últimos meses, é como se de alguma forma eu tivesse disparado a correr para alguém ou algum lugar que me trouxesse paz e ao perceber que ninguém viria foi inevitável a queda, e agora sozinha eu sei que não vou conseguir levantar e sair desse escuro.


- E o que sentir quando até mesmo você chega a duvidar que ainda existe alguma chance de virar o jogo pra você